Atenção!

Olá amigos que visitam este blog! - Esta página não tem nenhuma ligação com os personagens aqui relacionados, portanto pedimos que não deixem recado e nem façam pedidos. Fiquem à vontade apenas para comentar. Grato pela compreensão. Miguel

sábado, 30 de janeiro de 2010

Tonico e Tinoco

Formada pelos irmãos João Salvador Perez, Tonico - São Manuel, SP-2 /3 /1917- São Paulo, SP - 13/8/1994 e José Perez, Tinoco - Botucatu, SP - 19 /11 /1920.

O pai, o imigrante espanhol Salvador Perez, chegado ao Brasil em 1892, com cinco anos de idade, instalou-se na região de Botucatu. Dedicou-se ao trabalho agrícola, ao desbravamento do sertão e criação de novas fazendas. Entre muitas fazendas trabalhou numa propriedade da família de Ademar de Barros. Lá se casou com a filha de outro peão que era sanfoneiro.

Os irmãos João e José cresceram sob a influência musical dos avós maternos que tocavam em bailes de aniversário e casamento. O avô Olegário era o mais famoso e solicitado tocador de sanfona de oito baixos da região. Na família da mãe todos eram músicos. Havia também o tio materno, José, renomado sanfoneiro com quem João (Tonico) conviveu até sete anos. Ainda meninos na fazenda Vargem Grande começaram a cantar com o violeiro Virgílio de Souza, que lhes apresentou a primeira viola. A família mudava-se constantemente de fazenda em fazenda. Na fazenda Tavares, em Botucatu conheceram o violeiro Bonifácio Bonetti, que os ensinou os primeiros acordes de violão. Lá começam a animar as primeiras festinhas cantando serenatas. Em 1937 mudam-se para Sorocaba onde continuam apresentando-se em festas de bairro, ao mesmo tempo em que José trabalhava como engraxate e João na pedreira Santa Helena.

Deixando Sorocaba, rumam para a Fazenda Brejão, em São Manuel, onde formam o conjunto "Os caboclos do Brejão", juntamente com Sílvio Vacaro, Tião, Chiquinho e João Nicolete. Tocavam em festas e bailes das redondezas. Cantam pela primeira vez na Rádio Clube de São Manuel, convidados pelo administrador da fazenda, interpretando a música "Namoro de velhos". Passam a se apresentar de graça na emissora aos domingos.

Em janeiro de 1941, mudaram-se para São Paulo. Ganharam o primeiro lugar no programa de calouros "Peneira Rodhine", da Rádio Cultura. Em seguida, conquistaram o segundo lugar no programa de calouros da Rádio Record, comandado por Otávio Gabus Mendes. Ganharam um concurso de calouros no programa "Manhãs na roça", de Chico Carretel na Rádio Emissora de Piratininga.
Em 1944, gravaram seu primeiro disco em 78 rpm pela gravadora Continental. A música escolhida foi o cateretê "Inveis de me agradecê" de autoria de Capitão Furtado, Jayme Martins e Aimoré. No programa "Arraial da curva torta", ganharam do apresentador Dácio Ferreira o epíteto de "Dupla coração do Brasil".

Gravaram outros discos e, em decorrência do sucesso de seu trabalho, abrem um escritório, numa iniciativa pioneira entre artistas sertanejos. Passaram a ter programas nas Rádios Nacional e Bandeirantes. Faziam shows diários e apresentavam-se em diversos circos. Escreveram 25 peças teatrais, entre elas duas comédias que apresentavam em circos, ginásios e teatros. Nesse período, renovaram contrato com a gravadora Continental.
Fizeram seis filmes de temas regionais sertanejos, com diferentes diretores: "Lá no meu sertão", produção da própria dupla, "Obrigado a matar", "Luar do sertão", uma co-produção, "Marca da ferradura", co-produção, "Os três justiceiros", co-produção, e "Menino jornaleiro", co-produção. Gravaram em torno de 75 LPs e 211 discos 78 rpm, num total aproximado de 1.200 músicas, tendo vendido mais de 20 milhões de discos.
Durante a carreira a dupla realizou mais de 40 mil shows em todo o Brasil em circos, teatros, ginásios, exposições agropecuárias, além das programações em rádio e televisão. Entre seus sucessos estão "Moreninha linda", de Tonico, Priminho e Maninho, "Chico mineiro", de Tonico e Francisco Ribeiro, "Adeus campina da serra", de Raul Torres e Cornélio Pires, "Destinos iguais" de Laureano e Ariovaldo Pires e"Tristeza do Jeca", de Angelino de Oliveira.
Tonico (João Salvador Perez), faleceu no dia 13 de agosto de 1994, após uma queda da escada do prédio onde morava. O último show da Dupla Tonico & Tinoco, foi na cidade matogrossense de Juína, no dia 7 de agosto de 1994. Tinoco encontrou forças no apoio que recebeu dos fãs, e na saudade do companheiro que faleceu. Realizou mais de trinta apresentações contratadas anteriormente a morte do irmão.
Tinoco, hoje beira os 90 anos e é o artista sertanejo há mais tempo na ativa.

Fonte http://www.dicionariompb.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

COLABORE COM O BLOG

SE ESQUECERMOS DE ALGUÉM, QUEIRA NOS LEMBRAR PELO E-MAIL:     botucatuonline@yahoo.com.br

Cique na imagem abaixo para saber como

Relojoaria Em Botucatu Tem Nome!

Relojoaria Em Botucatu Tem Nome!
Diga que viu este anúncio e ganhe um desconto!

REALCE SUA BELEZA

REALCE SUA BELEZA